22.4.16

A cidade e os automóveis - Abril 2016

2016_141



O(s) condutore(s) não devem ser da cidade. Encostam os carros onde lhes apetecem. Coitados, não sabem que os peões andam nos passeios e não no meio das ruas!


2 comentários:

Guilherme de Sousa Olaio disse...

Agora percebo porque é que o bonito QUIOSQUE desapareceu. Assim se vão criando espaços grátis para estacionar.
Não me canso de dizer que gerir uma cidade não é apenas o debate sobre megalomania urbana.
Uma cidade é um espaço de fruição colectiva, tal qual uma casa. Pressupõe que seja cuidada todos os dias. Seja limpa todos os dias, embelezada por este ou aquele toque de amor. Jardins cuidados, lagos limpos, fontes a brotar água. A cidade tem nascentes por todo o seu território. Um edil acomodado chamará a todo este cinzentismo que vai tomando conta da cidade a patine dos tempos. Mas não! Eu chamo-lhe indiferença. São belos os telhados do Porto, mas é preciso olhar para o chão.
Uma foto que vale mais, muito mais que este pobre discurso. Por isso Obrigado.
Cumprimentos

Teo Dias disse...

Guilherme de Sousa Carvalho,

O quiosque exit!

Eu sei que também olho para os andares e as varandas e os telhados.

Por força das coisas ando com os pés no chão.

Infelizmente e cada vez mais os edis dão importância aos veículos motorizados. Felizmente que só se consegue chegar às urnas de voto a pé!

Temo que num futuro o automobilista possa voar com o seu livrete.

Obrigado por ter comentado uma normalidade anormal na cidade!