31.7.12

INTERNATO S. JOÃO

360712

Na rua da Alegria.

Actualmente procuro mais informações sobre esta instituição...

Aditamento de 26 de Fevereiro de 2013:

Graças ao trabalho desenvolvido pelo Blog "Almanaque Republicano" reproduzo parcialmente o texto publicado há algumas horas:

« “O Asilo S. João [hoje, Internato S. João], instituição de beneficência criada em Lisboa em 1862, pela Maçonaria (mais rigorosamente pela Confederação Maçónica Portuguesa, cujo Grão-Mestre era José Estêvão Coelho de Magalhães), a fim de receber 20 raparigas que se achavam recolhidas noAsilo dos Cardais de Jesus, dependente das Irmãs de S. Vicente de Paulo (Irmãs da Caridade) e que, com a expulsão [Junho de 1862] destas de Portugal, tinham ficado ao abandono.  

[Um grupo de maçons da Confederação Maçónica Portuguesa (1849-1867) constituiu uma Comissão de Notáveis para vir em auxilio e sustentação dos estabelecimentos sob direcção antiga das Irmãs de Caridade, oferecendo os seus préstimos ao governo. A 2 de Junho de 1862, a Comissão limitava a oferta de auxilio às 20 crianças, atrás referidas. A Comissão de Notáveis era assim composta:

José Estêvão de Magalhães (Presidente da Comissão; Grão-Mestre da Confederação Maçónica), António Maria de Sousa Meneses, José Isidoro Viana (s., D. António Telo, L. Obreiros do Trabalho), Francisco Maria Enea (L. Constância), José Maria Lobo de Ávila (s. Apolo), Gilberto António Rola (co-fundador do Partido Republicano Português), Inácio Januário da Silva Avelino (s. Mazzini, L. Independência nº 4), José Joaquim de Abreu Viana (s. Spinkler, L. Civilização).

...

No Porto, é também criado pela Maçonaria, em 1891 a instituição de beneficência Asilo de S. João (Rua da Alegria, n.º 342), a fim de receber rapazes órfãos [um dos fundadores da primitiva Associação Protectora do Asilo de S. João foi Alves da Veiga].

São hoje Internatos de S. João, mantêm a sua actividade quer no Porto, quer em Lisboa com os mesmos fins e propósitos da sua criação, acolhendo crianças em riscos, dando-lhe abrigo, educação e preparando-as para a inserção na sociedade e na vida activa.

in Dicionário de Maçonaria Portuguesa - A. H. de Oliveira Marques

via Grémio Estrela D’Alva [com aditamentos  e sublinhados nossos]

A totalidade da mensagem pode ser lida no Almanaque Republicano.


3 comentários:

limalimão disse...

É uma Instituição de Solidariedade Social destinada a acolher, menores do sexo masculino que se encontram em situação de risco.

Teo Dias disse...

Cara Limalimão,
Obrigado pelo comentário que me deixou sobre esta instituição.
Mas isso também eu já sabia. Fui demasiado sintético na minha pergunta. O que eu desejava obter era a data em que o Internato tinha sido criado, entre outros... Também gostava de saber se é verdade ou não que a sua fundação tem a ver com a Maçonaria portuense - penso que sim, mas não consegui encontrar na net a confirmação.
Continuo a aguardar ajuda sobre este assunto...

Maria Pereira disse...

Tentarei saber alguma coisa, mas só para Setembro.