7.10.06

Rua do BREYNER


(também conhecida por rua do Breiner)

A Rua do Breyner já estava rasgada, ainda que não inteiramente, em 1813, como se vê da planta redonda de George Balck, mas ainda então não tinha nome e estava escassamente urbanizada. E no mesmo estado se encontrava em 1833, como mostra a planta de Clarke.


Deu nome à rua Pedro Melo Breyner.



A salientar a presença do Instituto Britânico. Nesta rua existiu, dos anos 40 até aos anos 60 (do século XX), o Instituto Industrial do Porto num edifício que mais tarde albergou a Escola Irene Lisboa e a escola Fontes Pereira de Melo, anteriormente tinha lá estado a Faculdade de Letras da Universidade do Porto.


Também nesta artéria existiu uma fábrica, hoje transformada em parque de estacionamento.


Acrescento, em 2008, a antiga fábrica (de branqueamento de texteis?) é hoje uma residência para idosos do Montepio Geral.




PEDRO MELO BREINER, senhor da Trofa, conselheiro de Estado, embaixador de Roma governador das Justiças do Porto, que morreu encarcerado por seguir as ideias liberais e o partido de D. Pedro.


O lar feminino S. José de Cluny (nº 401) tem como autores do projecto (1954) os arquitectos Eduardo Iglésias e Francisco Pereira da Costa.

1 comentário:

Francisco disse...

Boa tarde! Queria só salientar que a antiga Fárica do Breyner, da qual o meu Avô também era sócio, se dedicava a acabamentos em produtos têxteis, o que inclui o branqueamento e outros processos de tratamento dos mesmos. Francisco Machado