16.4.08

Rua do NIASSA

19|04|08

Esta foto está localizada aqui


As casas que se encontram nesta rua fazem parte do chamado "Bairro Operário O Comércio do Porto" que foi construído por volta de 1899. Devemos o desenho deste bairro ao arquitecto José Marques da Silva.

Actualização 30/10/2012:
Graças a uma senhora francesa que na semana passada fez uma intervenção sobre "o habitar em Paris de 1945 e 2010" fiz a descoberta que o arquitecto Marques da Silva se inspirou, para desenhar este bairro num tipo de alojamento social da Alsácia que é designado por "Carré Mulhousien". As semelhanças são evidentes, há somente uma diferença de escala. 
É algo que, até agora, eu nunca tinha lido sobre este tipo de "habitação social", embora pense que o "bloco habitacional" da rua Duque de Saldanha tenha uma pequeníssima influência do "Falanstério" de Guise, claro que só na forma, pois tudo o resto ficou ignorado. 

_________

Niassa é uma província de Moçambique, a maior do país em área e aquela que tem menos população. Está situada no extremo noroeste de Moçambique, é montanhosa e foi muito afectada pela Luta Armada de Libertação Nacional. 
(Arquivo da Toponímia)

Para saber mais sobre o Niassa: http://www.niassatourism.com/


Sobre a História de Niassa:
No período colonial, foi construído um ramal de caminhos de ferro até Vila Cabral, como se chamava nessa altura a capital do então distrito do Niassa e, já nos últimos anos, como forma de apoio à guerra colonial, uma estrada alcatroada com cerca de 40 km. O colonato que se tinha instalado em Nova Madeira (actual ...) era formado por agricultores pobres, que pouco contribuíram para o desenvolvimento da região.

Depois da Independência Nacional, em 1975, foi feito algum esforço para “recolonizar” a província e, na década de 1990, foi inclusivamente firmado um acordo entre os governos de Moçambique e da África do Sul que previa o financiamento para a instalação de farmeiros boers no Niassa, permitindo assim a reforma agrária naquele país. No entanto, a guerra dos 16 anos que muito afectou a província, impediu um real desenvolvimento.

A seguir ao Acordo Geral de Paz, em 1992, houve algumas iniciativas importantes, nomeadamente a concessão do Parque Nacional do Niassa a uma empresa privada, a instalação duma Faculdade de Agronomia da Universidade Católica de Moçambique em Cuamba, a maior cidade da província e, neste momento, a rede viária, apesar de rudimentar, já permite a ligação efectiva entre os vários distritos.

Pode continuar a ler na Wikipédia.


1 comentário:

Teo Dias disse...

Rectificação:

Dou a mão à palmatória! Ontem à noite tornei a andar à volta do alojamento social na cidade do Porto e ncontrei uma referência ao "Carré Mulhousien", embora não seja chamado assim, no blogue "do Porto e não só" - aqui está a referência: http://doportoenaoso.blogspot.pt/2010/12/os-bairros-sociais-no-porto-i.html.
Apresento as minhas desculpas ao seu autor.